Notícias Dia Interna

Anuncie aqui

Choro de bebês em condomínios

O choro de bebês não está previsto na lei do silêncio. Portanto, o mais prudente é apelar para o bom senso.

 

Colunista Fernando Passos Gama

 

Na última rodada de negócios, organizada pelo Viva o Condomínio, uma pergunta suscitou um grande debate entre os presentes: como lidar com os barulhos que incomodam, mais especificamente como agir em casos de choro de bebês em condomínios.

 

Por isso, a seguir você irá saber um pouco mais sobre o tema.

 

Agir de forma diplomática e sem estresse é o caminho mais correto para lidar com o choro de bebês em condomínios. Como esse tipo de barulho não está previsto na lei do silêncio, ambos os lados precisam apelar para o bom senso.

 

Organizar uma conversa entre os condôminos e os pais; instalar carpetes e tapetes para abafar o ruído; ou, em casos mais extremos, providenciar a instalação de um isolamento acústico pode ajudar na situação.

 

Porém, como disse o nosso colunista, Fernando Passos Gama, no vídeo “choro de bebês em condomínio”, todos nós já fomos crianças um dia e já choramos bastante.

 

Veja o vídeo a seguir

 

 

Redação Viva o Condomínio
Por: Guilherme de Paula Pires
Em respeito à Lei de Direitos Autorais (Lei 9.61098), este conteúdo pode ser copiado e compartilhado, desde que sejam citados o autor e a fonte original. O plágio é proibido e passível de punição, de acordo com o artigo 184 do Código Penal, que prevê pena de três meses a um ano, ou multa.

  1. Juliana Félix disse:

    Tenho um filho de 1 ano e 4 meses, ele é sorridente e muito simpático. Moramos em apartamento faz uns 5 meses, e nossa vizinha de porta socou nossa parede da sala algumas vezes, não fizemos nada, até que um dia meu filho começou a chorar, era exatamente 22:05 da noite, quando novamente ela socou nossa parede e depois foi pra janela dizer que não era hora de chorar. Eu estressa já com isso respondi pela janela também. Eu e meu esposo respeitamos os vizinhos, em nossa casa não tem barulho de som e nada que possa ser inconveniente aos outros moradores. Me senti constragida com com tudo isso, pois perguntei até a vizinha que morar no apartamento a baixo do nosso para saber se estavamos incomodando, e a moradora disse qie não, que crianças choram mesmo e que a vizinha já arrumou problemas com outros vizinhos do prédio. Gostaria de uma orientação, pois penso até em me mudar por conta do constrangimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *