Notícias Manutenção Interna

Anuncie aqui

Cinco dicas para manter uma boa manutenção do seu condomínio

Ao procurar uma casa ou apartamento, muitas pessoas dão preferência para os imóveis em condomínio, por conta da segurança, comodidade, tranquilidade e opções de lazer.

 

Cinco dicas para manter uma boa manutenção do seu condomínio
Foto: Pexels

 

Entretanto, apesar das muitas vantagens dos condomínios, as condições das áreas compartilhadas influenciam diretamente na vida dos moradores. Afinal, morar bem significa ter um espaço agradável, limpo e que ofereça condições atrativas.

Imagine morar em um local com infiltrações, pintura mal feita e com equipamentos perigosos espalhados.

Provavelmente, não é a imagem ideal de um condomínio. Diante disso, percebe-se que o cuidado também envolve a manutenção da estrutura, bem como das áreas compartilhadas, para a boa convivência dos moradores.

O síndico tem um papel fundamental na manutenção do condomínio. No entanto, os moradores e inquilinos podem contribuir para a preservação do espaço, respeitando as regras, cuidando do patrimônio e preservando as áreas comuns.

Pensando nisso, separamos algumas dicas para manter uma boa manutenção dos condomínios.

 

1 – Observe as condições da pintura

Seja em condomínios de casas ou de apartamentos, a pintura é um dos aspectos que mais se destaca na estrutura.

Ela se comporta como um “cartão de visitas”, já que as condições da pintura influenciam na percepção das pessoas sobre aquele determinado local.

O recomendável é dar uma atenção especial à fachada, mas as estruturas internas do condomínio também precisam de valorização.

Normalmente, a repintura é feita a cada 5 anos, porém, esse período pode variar, de acordo com a qualidade da tinta, incidência de intempéries e condições climáticas.

Para a manutenção de condomínios, tem-se utilizado bastante a pintura epóxi, uma tinta resistente ao calor, fricção, impactos e produtos químicos.

Com isso, é possível ter um período maior de intervalo entre as repinturas e, consequentemente, menos gasto para o condomínio.

Vale ressaltar que a tinta epóxi tem quatro vezes mais durabilidade que outras tintas. Por esse motivo, ela é usada em ambientes com tráfego intenso de pessoas, máquinas, carros, além de resistir às rachaduras, fissuras e impedir infiltrações nas paredes e pisos.

Entre outras vantagens da tinta epóxi para condomínios, destacam-se:
  • Melhor relação custo-benefício;
  • Secagem rápida (em torno de 12 horas);
  • Disponível em várias cores;
  • Facilidade de aplicação em paredes e pisos.

A condição da pintura não se limita somente à aplicação de tinta. É preciso ter atenção nas rachaduras e infiltrações, pois elas podem comprometer as paredes do condomínio e causar danos estruturais.

Portanto, a dica é fazer uma vistoria de tubulações, bem como de todas as paredes e pisos.

2 – Faça a inspeção de sistemas de água, eletricidade e aquecedores

Engana-se quem pensa que a manutenção de condomínios envolve somente ações corretivas, isto é, para correção do problema.

A qualidade do ambiente depende muito mais de ações preventivas e preditivas, que evitam a ocorrência de erros e antecipam possíveis falhas, riscos e acidentes.

Por essa razão, a análise das condições do sistema de instalação de aquecedor a gás, bem como das redes hidráulicas e elétricas, é fundamental para os condomínios. Imagine, por exemplo, que um cano de gás estoura.

As chances de um incêndio em todo o condomínio são muito grandes, daí a necessidade da manutenção preditiva.

Vale pontuar que, apesar de não ter caráter corretivo, ou seja de conserto, a manutenção preditiva e preventiva deve ser realizada por profissionais especializados, devido ao alto grau de complexidade dos sistemas e equipamentos.

Ademais, qualquer ação incorreta, feita por pessoal sem conhecimento prévio, também pode ocasionar acidentes.

Além das redes hidráulicas, elétricas e o gasoduto, é necessário observar as condições da instalação de CFTV, para os condomínios que possuírem esse sistema de segurança.

O principal objetivo do CFTV é proteger patrimônios contra atos de vandalismo e invasões, por isso, a manutenção preditiva desse sistema é uma maneira de garantir a segurança dos moradores.

3 – Dê atenção especial à portaria

Como mencionamos anteriormente, muitas pessoas procuram os condomínios justamente pela proteção e segurança que oferecem – ainda mais quando há portarias.

As portarias controlam a entrada e a saída de pessoas e veículos, sendo que somente pessoal autorizado pode entrar no condomínio. Isso evita roubos, furtos e outras ações ilegais, que lesam o patrimônio.

Mas, para garantir essa tranquilidade aos moradores, é fundamental verificar as condições da portaria, incluindo o funcionamento das portas e portões, que normalmente são eletrônicos.

Assim como todo equipamento e sistema automatizado, as portas e portões estão suscetíveis às falhas e, caso isso ocorra, é necessário realizar o conserto de portão eletrônico imediatamente.

Inclusive, algumas empresas especializadas já funcionam 24 horas para atender casos emergenciais.

Além de comprometer a segurança, um portão eletrônico falho impede que os moradores saiam de suas casas, perdendo compromissos importantes.

O ideal é realizar manutenção preventiva mensalmente nas portas e portões, com testes de funcionamento e avaliação das condições das peças.

Outro item de controle de acesso e segurança que merece atenção é a cancela para estacionamento, também muito comum em condomínios. Ela é a responsável por liberar ou negar acesso de veículos, além de requisitar a parada obrigatória de visitantes, para identificação na portaria.

Contudo, caso apresente falhas, a cancela pode comprometer o carro de visitantes e moradores, com inúmeros prejuízos. Portanto, recomenda-se manutenção de todo o equipamento, incluindo o sistema inteligente de fechamento automático, com proteção de fotocélulas e detectores de massa metálica.

4 – Limpe as calhas e toldos

Grande parte dos danos estruturais dos imóveis é causado por infiltrações. A água compromete a resistência da parede e, mais do que isso, pode favorecer o desenvolvimento de fungos e bolores.

Assim, uma das formas de impedir infiltrações nos condomínios é limpar frequentemente as calhas, toldos e coberturas, especialmente em períodos de chuva intensa.

A limpeza deve ser feita com a retirada das folhas, insetos e demais materiais presos e, se necessário, aplicar um revestimento impermeabilizante.

Locais com telha galvalume têm uma vantagem, visto que o produto é especialmente desenvolvido para suportar a ação das águas pluviais e ter durabilidade. No entanto, isso não extingue a necessidade de limpeza periódica.

Caso haja alguma telha ou calha fora do lugar, é imprescindível fazer o conserto e substituir a peça por uma nova.

O telhado de cobertura para carros também merece atenção especial. Mesmo que não tenha contato com a parede do condomínio, a presença de matérias orgânicas no revestimento pode ser prejudicial para os moradores, já que elas podem cair em cima dos veículos.

As coberturas são muito usadas em estacionamentos de condomínios fechados, pois elas possuem uma base grande e livre acesso.

Além disso, os carros, motos e demais veículos ficam protegidos contra a chuva, raios UV e demais intempéries. As coberturas estão disponíveis em várias cores e espessuras.

Alguns condomínios também contam com a presença de toldo retrátil. Mais simples do que as coberturas, os toldos podem ser instalados nos telhados e somente usados em casos de necessidade. Porém, eles também requerem manutenção e limpeza.

5 – Cuide das piscinas, jardins e playgrounds

As áreas de convivência do condomínio precisam estar sempre bem cuidadas, limpas e conservadas.

Elas contribuem para harmonia de convivência dos moradores e, além disso, são os locais destinados às horas de lazer e entretenimento.

Os condomínios com piscinas devem limpar, trocar a água e medir o pH semanalmente.

O ideal é fazer esses procedimentos na segunda-feira, logo após o final de semana (quando normalmente as piscinas são mais usadas). No entanto, a decisão fica a cargo do síndico e dos responsáveis.

A manutenção das piscinas envolve a limpeza das bordas com produtos biodegradáveis, a limpeza dos filtros, a retirada das impurezas (folhas e insetos) e aplicação do cloro em níveis adequados.

Para melhor conservação das piscinas, recomende aos moradores não utilizarem óleos corporais ou colocar animais de estimação na água.

Já os jardins precisam ser regados diariamente. Deve-se verificar a presença de parasitas, animais peçonhentos e outras plantas que possam comprometer a beleza das árvores e flores dos jardins.

Além disso, o condomínio precisa adubar a terra e instalar placas, orientando os moradores a não pisar na grama ou arrancar flores. Caso haja alguma planta espinhosa ou venenosa, o condomínio deve colocar um alerta, ou até mesmo retirá-la.

Os condomínios com playgrounds ou brinquedos para crianças devem higienizar os equipamentos semanalmente.

Para maior segurança dos pais ou responsáveis, troque a areia do chão, dando preferência para as filtradas. Coloque placas com avisos de segurança, normas de uso e classificação etária de cada brinquedo.

Cabe destacar que as áreas de convivência são compartilhadas por todos os condôminos, portanto, é necessário conscientizar os moradores sobre a conservação e preservação das piscinas, jardins e playgrounds.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *