Notícias Decoração Interna

Anuncie aqui

Descubra como fazer um jardim vertical na sua casa ou no seu apartamento

O isolamento social fez com que as plantas tomassem conta de muitas casas que antes não tinham nenhum verdinho à vista.

Como fazer um jardim vertical na sua casa ou no seu apartamento

Enquanto alguns investiram em vasos com espécies pequenas, em cactos e suculentas, outros resolveram ousar e investir em paredes inteiras cheias de folhagem. As famosas paredes vivas, ou vertical gardens, são uma maneira de trazer uma miniatura da cerca viva para dentro de casa.

E por que não unir duas tendências da quarentena? Cuidar das plantas e investir no DIY (do it yourself), o nosso faça você mesmo? E se tem alguém capaz de combinar as duas coisas é o criador de conteúdo de decoração Matheus Ilt. Ele estourou nas redes sociais depois de compartilhar as reformas que fazia com as próprias mãos com seus seguidores. Com os leitores da Revista do Correio, ele divide algumas dicas para montar uma parede viva poderosa.

O criador de conteúdo conta que, há alguns anos, estava andando na rua com o namorado e os dois viram uma casa com a calha cheia de plantas. “Fiquei curioso, pois a calha acumulou terra e tinha brotinhos ali, nascendo naturalmente. Se deu certo assim, por que não daria se tentássemos cultivar mesmo?”, lembra.

Com o sonho de encher a casa de plantas, mas com algumas limitações por causa dos gatos do casal, Matheus enxergou na parede viva uma opção para investir em plantas pendentes, bem cheias. Uma marca registrada dos DIYs do influencer é a reutilização de objetos. Com essa pega sustentável, ele usou canos de calha de PVC para criar uma decoração elegante — uma possibilidade para quem não quer gastar muito.

Uma parede viva

Na hora de escolher o lugar do seu jardim vertical, dê preferências para locais onde a água não causará grandes transtornos se escorrer — varandas e sacadas são ideais. Fique atento também para o espaço entre a calha e a parede para não dar oportunidade ao mofo.

Nos espaços internos, é importante ficar de olho na calha mais baixa, para que ela não vaze nem acumule água demais. Além disso, ao posicionar a parede viva dentro de casa, priorize a proximidade com grandes janelas. A maioria das plantas usadas não precisa de sol direto, mas necessitam claridade.

A paisagista Flávia Carvalho, da Encanto Verde Paisagismo, especializada em jardins verticais, corrobora a necessidade da claridade e ressalta a importância da ventilação no espaço, para que as plantas possam se desenvolver de forma adequada.

Para regar o vertical garden na área interna, prefira pequenos regadores e vá molhando calha por calha. Em ambientes externos, borrifadores e mangueiras podem ser usados com mais liberdade. Flávia orienta que, antes de começar a fazer as intervenções por conta própria, é necessário conferir se a parede em questão não tem encanamento ou alguma fiação que possa ser afetada.

Para espaços com exposição direta ao sol, a paisagista recomenda plantas como aspargo, begônias dragão e dionelas. Já para paredes vivas na sombra, opções como jiboia, peperomia e algumas espécies de tradescantias são as melhores.

Flávia e Matheus ressaltam que é preciso cuidar da saúde das plantas para manter a parede bonita e funcional. Além de cuidados com a rega, a luminosidade e a ventilação, é necessário fazer a manutenção da terra, tomando o cuidado para que as plantas não fiquem muito enraizadas ou que a terra se torne empedrada. Entre seis meses e um ano, troque a terra, e faça a adubagem adequada para cada espécie a cada trimestre.

Fã de plantas, Matheus recomenda que todos que querem dar um up no lar invistam em ambientes verdes. “Quando a gente começa a viver em um novo espaço, ele costuma estar mais vazio e a planta preenche com vida, além de ser um coringão da decoração, porque sempre tem uma que vai combinar com sua casa ou estilo”.

Matheus acrescenta que o verde ajuda na percepção de pertencimento ao lar. “Quando colocamos uma planta ali, temos a certeza de que é nossa. Temos uma responsabilidade, é preciso ter uma atenção com aquele ser vivo, e isso nos ajuda a criar laços”, completa.

Crie a sua parede viva
Você vai precisar de:
  • Trena
  • Lápis
  • Brocas
  • Parafusos e buchas
  • Parafusadeira ou furadeira
  • Calhas de PVC com tampas laterais
  • Suportes de calha
  • Manta para drenagem
  • Argila expandida
  • Plantas
DIY
  1. Com a trena e o lápis, marque na parede os furos onde ficaram fixos os suportes de calha.
  2. Com a furadeira, fure nas marcações e coloque as buchas.Em seguida, parafuse os suportes das calhas.
  3. Para evitar infiltrações, antes de colocar as buchas, Matheus recomenda selar os buracos na parede com bisnagas de silicone.
  4. A calha fica alguns centímetros afastada das paredes. O cuidado extra pode evitar problemas no futuro.
  5. Antes de posicionar as calhas nos suportes, faça pequenos furos no fundo de cada uma delas para que a água possa escorrer.
  6. Caso a parede viva seja em um ambiente interno, não fure a última calha, que ficará por baixo.
  7. Na última calha, sem furos, coloque uma camada de argila expandida, assim ela absorverá o excesso de água.
  8. Coloque pedaços de manta de drenagem em todas as calhas, ela vai impedir que a terra escape pelos buraquinhos e manterá os nutrientes próximos às raízes das plantas.
  9. Por fim, é hora de posicionar as plantas. Comece por baixo e com as menores, vá subindo e colocando as espécies maiores, cobrindo bem as calhas e preenchendo bem visualmente.

 

 

Fonte: Correio Braziliense

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *