Notícias Segurança Interna 01

Anuncie aqui

O quebra-cabeças da segurança orgânica

Quando se opta por viver em condomínio, sem dúvida a segurança é o quesito primordial para determinar essa escolha.

O quebra-cabeças da segurança orgânica

A sensação de estar seguro tende a ser maior quando há na portaria, profissionais treinados, câmeras, aparelhos de vigilância de última geração e controles de acesso confiáveis. Mas, o que realmente determina o nível de segurança orgânica do condomínio é o comprometimento, comportamento e conduta das pessoas que nele vivem ou trabalham.

Dessa forma, não bastam aparatos tecnológicos e inúmeras barreiras físicas se os próprios moradores e profissionais têm comportamentos que fragilizam a segurança. Um condomínio que possui equipamentos de proteção perimetral certamente possui um alto índice de segurança, mas caso haja alguma atitude descomprometida de um morador ou prestador de serviço, todo aparato de segurança será em vão. O comportamento humano é sem dúvidas o ponto mais sensível e frágil de qualquer sistema ou plano de segurança.

Atitudes, que num primeiro momento possam parecer simples podem comprometer todo o esforço do conjunto e sensibilizar a segurança, uma vez que causador do problema poderá entrar pela porta da frente.

Por isso, para tornar o condomínio mais seguro é necessário investir em procedimentos de segurança, capacitando os funcionários, e criando regras internas, rotinas e padrões de sensibilização dos moradores de modo que todos entendam a importância da segurança e seu papel como promotor e executor dos procedimentos estabelecido e que se sintam responsáveis pela segurança de todos.

A segurança faz parte de um sistema integrado como se fosse um quebra-cabeças, onde cada peça (estrutura física, equipamentos eletrônicos, funcionários e moradores), têm um papel fundamental e todos devem estar em sinergia e com papéis bem definidos, pois só assim a segurança orgânica atingirá níveis elevados, originando a tão almejada sensação de segurança a todos os moradores e usuários do condomínio.

 

 

Fonte: Síndico Legal


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *