Notícias Áreas home 01

Anuncie aqui

Passo a passo: como implementar um bicicletário para condomínio

Já pensou em montar um bicicletário no seu condomínio? Afinal, uma boa gestão condominial precisa ficar atenta às tendências do momento, visando a maior satisfação dos moradores. É cada vez mais comum as pessoas preocupadas com saúde e boa forma física optarem por bicicleta, seja na hora do lazer e até mesmo como meio de transporte para o trabalho, evitando o trânsito caótico.

Para implementar um bicicletário para condomínio, alguns cuidados são necessários, entre eles ter um local bem adequado e atender a lei municipal, caso o condomínio seja na cidade de São Paulo.

 

Passo a passo de como implementar um bicicletário para condomínio

 

Passo 1: Veja o que diz a lei em SP

Se o seu condomínio é em São Paulo, fique de olho na lei de maio de 2013 que obriga os condomínios novos ou reformados a terem um bicicletário. Segundo esta legislação, é necessário ter um espaço mínimo com 1,8 metro de extensão e mais de 2 metros de altura.

Esta lei alterou o Código de Obras do Município e determinou, também, que os locais reservados para a guarda das bicicletas devem ser facilmente acessíveis, com adequação ao piso mais próximo das ruas e calçadas. Mas atenção! Estão isentos dessas obrigatoriedades:

  • Os condomínios que não têm estacionamentos;
  • Os localizados no alinhamento de vias públicas;
  • Aqueles que não dispõem de área com acesso para estacionamento;
  • Os que estão em ruas nas quais o tráfego de bicicletas é proibido pelo órgão municipal de trânsito;
  • Prédios antigos.

 

Passo 2: Discuta o tema em assembleia

Independentemente da existência ou não de uma lei, o ideal é discutir o tema com os condôminos durante uma assembleia para que haja um consenso.

Quantos moradores têm bicicletas? É mesmo necessário um bicicletário? Quais os locais que poderiam abrigar uma estrutura adequada para a guarda das bicicletas? Todas estas questões devem ser discutidas no grupo.

Vale lembrar aqui, que o quórum necessário para a decisão sobre a implementação do bicicletário é de maioria simples se nenhuma área comum do condomínio for alterada. E de dois terços dos condôminos, no caso de necessidade de mudar uma área comum.

 

Passo 3: Escolha o suporte mais adequado

Com tudo isso resolvido, antes de instalar o bicicletário no seu condomínio, pesquise para escolher o melhor modelo entre os diversos tipos de suporte disponíveis no mercado. Vale lembrar que os modelos mais comuns são os de ganchos que ocupam menos espaços. Nestes, cabem 10 bicicletas a cada 2 metros. Um bom custo/benefício. Esses ganchos vêm com cadeado.

Já o suporte de chão ocupa mais espaço: São 5 bicicletas em cada 1,5 metros. Mas fica mais fácil estacionar a bicicleta. Boa alternativa no caso das crianças e idosos. Se o seu condomínio fica no litoral, recomenda-se a galvanização dos suportes que normalmente são fabricados em aço carbono.

 

Passo 4: Estabeleça regras de uso

Uma vez construído ou adequado um dos espaços para funcionar como bicicletário, é hora de fazer o controle de quem usa. O mais recomendado é que o espaço seja mantido fechado com cadeado e monitorado 24 horas por câmeras.

O morador, ao retirar sua bicicleta, deve pegar a chave na portaria e assinar um livro anotando os horários de retirada e devolução. Isso evita problemas, como por exemplo, transformar o local num depósito de velharias ou ter um espaço onde entra quem quer.

 

Confira os modelos de formulários disponíveis para utilizar em seu condomínio:

 

Passo 5: Garanta que quem usa mais fique mais perto

Na hora de definir quem fica com qual suporte, veja a frequência de uso de cada proprietário da bicicleta e identifique com etiquetas o número do apartamento do dono em cada suporte.

Quem usa a bicicleta todo dia fica com o suporte mais próximo da entrada.

 

Passo 6: Faça uma manutenção periódica

Faça um primeiro cadastramento das bicicletas na inauguração do bicicletário. Depois, faça um recadastramento a cada seis meses. E, anualmente, programe uma reforma completa no espaço, com pintura, troca de lâmpadas e conserto de suportes danificados.

 

Se você tem qualquer dúvida sobre como implementar um bicicletário para condomínio, conte pra gente!

 

Leia mais: Estacionamento das bicicletas: condomínios devem buscar solução

 

 

Fonte: Tudocondo


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *