Notícias Dia Interna

Anuncie aqui

Perguntas frequentes sobre financiamento e juros imobiliários

O financiamento imobiliário pode ser considerado a forma mais fácil e descomplicada de sair do aluguel, e realizar o sonho da casa própria. Mas mesmo sendo tão popular, muitas pessoas ainda possuem dúvidas acerca desse processo.

 

 

Uma das dúvidas recorrentes mais frequentes é sobre juros imobiliário e como ele é implementado junto ao valor total do imóvel. Aqui você verá algumas das dúvidas mais frequentes sobre financiamento, juros imobiliários e como eles funcionam. Confira!

O que qualifica uma pessoa a fazer um financiamento?

Na teoria todos podem fazer um financiamento, mas cada instituição possui suas regras e critérios a serem preenchidos. Então é válido ir até uma instituição financeira e ver todos os requisitos que são necessários para que você possa ver se consegue preencher todos.

É feita uma análise de crédito para liberação do financiamento?

Sim! Essa é a garantia que a instituição financeira terá para saber se você conseguirá quitar o saldo devedor durante todo o processo do financiamento imobiliário. Além disso, é sempre bom lembrar que pessoas que possuem o nome sujo na praça não conseguiram realizar um financiamento junto a uma instituição financeira, então se planeje antes de dar início ao plano da casa própria.

Se você é autônomo é importante levar algum tipo de comprovante de renda, assim o banco poderá saber sua renda e fazer a análise para liberação do processo.

Alguma instituição financeira financia 100% o meu imóvel?

Infelizmente não, por isso é importante fazer um bom planejamento antes de decidir financiar algum imóvel. No geral, os bancos solicitam que o cliente tenha em mãos pelo menos 10% do valor no dia que o contrato for assinado.

Qual o prazo para começar a pagar as prestações do apartamento?

Após aprovado o seu financiamento, o prazo que geralmente dão para o cliente começar a pagar as parcelas são de 30 dias após terem assinado o contrato. Mas esse prazo pode ser negociado com sua instituição financeira! Cada uma possui suas flexibilidades. A forma de pagamento também pode ser feita em débito automático ou em boletos.

Qual a melhor modalidade para financiar um apartamento?

As modalidades mais comuns nesse processo são o SAC e a Tabela PRICE. Ambas são um pouco parecidas, mas os juros interferem para que sejam distintas. Com o SAC você terá juros menores e prestações com valores menores, mas a primeira sempre é maior. Já com a Tabela PRICE os juros são maiores e o valor das parcelas tendem a aumentar, mas a primeira é sempre menor.

Então a escolha da melhor modalidade deve ser avaliada única e exclusivamente pelo cliente, de acordo com a sua situação financeira.

Dúvidas frequentes sobre juros imobiliários

Uma das maiores dúvidas dos consumidores é sobre como funciona os juros imobiliário, quem determina os valores e qual sua composição.

Separamos cinco perguntas mais frequentes sobre esse assunto, para que você possa entender melhor como o processo funciona. Confira!

Por que os bancos incluem juros nos financiamentos?

Os juros funcionam como uma forma das instituições lucrarem enquanto emprestam dinheiro ao mutuário. Mas principalmente para garantir que o dinheiro emprestado não seja perdido. Dessa forma, mesmo que o cliente se torne inadimplente lá na frente, a instituição financeira não perderá o dinheiro emprestado.

Como é determinada a taxa de juros?

A taxa de juros imobiliária deve ser encarada da mesma forma como funciona com outros produtos, ou seja, ela é implementada de acordo com o mercado – nesse caso imobiliário – e sua concorrência. Mas isso é calculado apenas para definir o mínimo e o máximo do valor do juros. A variação da taxa é feita de acordo com o perfil do cliente e de sua situação financeira.

É possível negociar o juros com a instituição financeira?

Isso é relativo e vai depender muito da instituição escolhida, por isso é importante fazer uma boa análise no mercado e verificar quais fornecem as melhores formas de negociação.

As taxas podem sim ser negociadas, mas o banco só fará isso se ele perceber que os riscos do cliente se tornar inadimplente durante o processo são mínimas, por isso é importante possuir um bom histórico financeiro, assim como uma boa renda. Mas ainda sim, é importante conhecer diferentes bancos e analisar todas as propostas antes de assinar um contrato.

Quais os fatores que compõem a taxa de juros imobiliário?

Dois fatores são levados em consideração: custos da operação e o spread bancário.

Se você não sabe, o spread bancário é a diferença dos juros que o banco cobrará aos clientes e o juros que o mutuário pagará a instituição financeira. Ele funciona basicamente para cobrir as despesas caso o comprador se torne inadimplente durante o período de contrato.

Em relação ao custo da operação, o banco levará em consideração o meio que o mutuário utilizará para efetuar o pagamento das parcelas, seja através da caderneta de poupança ou até mesmo o FGTS.

A partir daí o banco fará uma análise e verá qual o valor da taxa de juros a ser incluída no contrato.

O banco analisa o perfil do cliente para colocar o valor das taxas de juros?

Sim! Da mesma forma que eles analisam o perfil do cliente caso o mesmo peça uma renegociação da taxa de juros, eles também analisam inicialmente para incluir a taxa no valor das prestações do financiamento imobiliário. Renda e idade dos clientes são levados em consideração durante o processo de análise.

 

Fonte: GearSeo


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *