Notícias Segurança Interna 01

Anuncie aqui

Segurança no condomínio: faça as perguntas certas

Observar a segurança no condomínio requer investimento, atenção e envolvimento de todos. Por isso é preciso questionar sempre.

 

Segurança no condomínio: faça as perguntas certas
Segurança no condomínio: faça as perguntas certas

 

Um dos principais atrativos para quem busca esse tipo de moradia é, sem dúvida, a questão da segurança. Infelizmente o Estado, principal provedor da segurança pública não consegue atender com eficiência os reclames da população sobre essa área.

Justamente por isso os condomínios, sejam eles de casas ou prédios; horizontais ou verticais; comerciais, residenciais ou mistos, utilizam desse prestígio para atrair novos moradores ou comerciantes.

E com razão, já que a busca pela segurança da sua vida pessoal e de pessoas próximas, assim como de bens materiais está sempre no topo da hierarquia de prioridades de uma família.

Todo o investimento pesado em cercas elétricas, câmeras de segurança, central de monitoramento, muros e grades não basta, apesar de ser importante. Isso porque nos condomínios existe um grande fluxo de transeuntes entrando e saindo, seja a pé ou de carro, o que facilita a entrada de estranhos no local.

Logo, por mais que o síndico ache que o porteiro conhece cada canto do condomínio, e está com todos os itens de segurança em ordem, fazer as perguntas certas pode ajudar a encontrar fragilidades no sistema e prevenir novos incidentes relacionados à segurança no condomínio.

 

Por isso, veja algumas perguntas a se fazer para eliminar a possibilidade de problemas com a segurança no condomínio.

 

1 – Qual o número exato de moradores e visitantes no meu condomínio?

 

Essa é a primeira pergunta a se fazer. Com quantos moradores estou lidando? Quantos visitantes semanais ou por mês circulam pelo interior do condomínio? É uma pergunta relevante, já que ter conhecimento disso auxilia na implantação de um novo sistema de segurança (mais robusto), de acordo com o tamanho e o número de moradores, e ajuda na identificação dos condôminos pelos funcionários.

 

Veja mais: Cadastro de moradores é fundamental para garantir a segurança do condomínio

 

2- Conheço todos os detalhes que envolvem a segurança do meu condomínio?

 

Quais recursos estão implementados, o número e a posição das câmeras, o sistema de acesso, qual empresa instalou, quem controla, como é e qual frequência da manutenção e os custos de operação? Essas dúvidas precisam ser prontamente respondidas, uma vez que conhecer o sistema possibilita a resposta rápida para eventuais problemas e tem o potencial de minimizar custos.

 

3- Faço reuniões periódicas com a empresa responsável pela segurança do meu condomínio?

 

Não precisa ser sempre quando algum problema acontece. O melhor é trabalhar para prevenir a ocorrência. E nesse caso, promover reunião com a empresa pode ajudar na avaliação do sistema e sugerir, se for o caso, as medidas emergenciais.

Além disso, estar próximo da empresa de segurança, dissemina a ideia de cuidado entre moradores e funcionários.

 

4- Os porteiros estão seguindo corretamente os procedimentos de segurança?

 

Peça chave na manutenção da segurança do condomínio, é preciso exigir que os porteiros sigam à risca todos os procedimentos de segurança. Observe se eles não abrem exceções para determinados moradores ou eventuais visitantes. E até mesmo se a pedido do próprio morador o delivery entrega a encomenda na porta do apartamento.

 

Veja mais: Os disfarces mais usados por assaltantes de condomínio

 

5- Todos os moradores conhecem e sabem das suas respectivas responsabilidades para a segurança do condomínio?

 

Nem mesmo o melhor e mais moderno sistema de segurança vai eliminar todos os riscos dentro do condomínio se os moradores não fizerem a sua parte.

 

Veja mais: Segurança dentro do condomínio depende da ação diária de todos

 

Nesse caso, o gestor deve orientar todos os moradores a não esquecer as senhas ou cartões de acesso, a verificar o fechamento do portão após entrar com o carro, que não intimidam os funcionários por realizarem a sua função, e a que participarem das reuniões sobre o tema.

Cabe ao síndico demonstrar que todos que estão nesta coletividade, desde funcionários até moradores, fazem parte de uma engrenagem que precisa funcionar corretamente para que o bem-estar de todos seja alcançado.

Garantir a segurança não é uma tarefa fácil e exige conhecimento e preparo por parte do síndico, funcionários e moradores. Não deixe que distrações ou falsas sensações de segurança jogue por terra toda segurança do condomínio.

 

Por: Guilherme de Paula Pires
Redação Viva o Condomínio

Em respeito à Lei de Direitos Autorais (Lei 9.61098), este conteúdo pode ser copiado e compartilhado, desde que sejam citados o autor e a fonte original. O plágio é proibido e passível de punição, de acordo com o artigo 184 do Código Penal, que prevê pena de três meses a um ano, ou multa.   


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *