Notícias Segurança Interna 01

Anuncie aqui

Vigilância comunitária em condomínios: O que podemos fazer?

A vigilância comunitária em condomínios tem o potencial de diminuir a incidência de crimes e promover uma maior união entre vizinhos.
Vigilância comunitária em condomínios: O que podemos fazer?
Vigilância comunitária em condomínios

 

Para quem mora em condomínios, a segurança é um dos temas que mais gera interesse. Afinal de contas, esse é um dos principais atrativos que tornam esse tipo de moradia cada vez mais presente nos centros urbanos.

Porém, na atualidade, quando o número de ocorrências relacionadas à falta de segurança aumenta, diversos condomínios têm buscado uma alternativa para enfrentar esse drama. Trata-se da vigilância comunitária.

A vigilância comunitária é um conjunto de atividades promovidas pelos moradores, comerciantes e demais membros de uma determinada localidade, com a finalidade de aumentar a segurança ao seu redor.

Nesse tipo de vigilância, cria-se uma adoção de mecanismos que busquem a conscientização de que a solidariedade entre vizinhos, no que tange à área de segurança, tem o potencial de reduzir os indicadores de crimes relacionados principalmente a assaltos e, por consequência, aumentar a qualidade de vida da comunidade.

Isso acontece, entre outros motivos, pela interação que se cria entre vizinhos, gerando uma preocupação mútua para com os interesses da coletividade. Sendo assim, um bom programa de vigilância comunitária tem a possiblidade de cumprir uma função específica para a qual foi criado: observar a segurança do condomínio e em torno dele, mas pode ir além e criar um sentimento de pertencimento a uma comunidade, ou seja, de preocupação coletiva com o bem-estar de todos.

Dessa maneira, pensado coletivamente e com metodologias claras, um bom projeto de vigilância comunitária em condomínio só vem agregar.

 

Veja como criar um projeto de vigilância comunitária no condomínio e os seus benefícios.

 

Plano de ação

Primeiramente é preciso criar um plano de ação para uma eficiente vigilância comunitária. A elaboração de roteiros e procedimentos sobre o que observar e como relatar qualquer problema torna o projeto mais eficaz

Deixe claro em sua elaboração o seu objetivo com o plano, os benefícios da vigilância comunitária para o condomínio, os procedimentos corriqueiros de observação e como agir em casos concretos, como por exemplo, a quem comunicar primeiro (síndico ou polícia militar) no caso de uma ameaça.

Dessa forma, com um bom plano de ação no qual se aponta os benefícios dessa prática e a segurança que ele pode trazer para o condomínio, a maioria dos moradores irá se engajar no projeto.

 

Promoção de reuniões periódicas

Reunir-se com o objetivo de despertar e promover nos moradores uma conscientização sobre a importância de seguir um roteiro de segurança coletiva, que no fim das contas será benéfico para todos. Nesses encontros, os participantes devem ser orientados sobre a necessidade de prestar atenção a qualquer episódio suspeito ou falha no procedimento de segurança, e relatar ao síndico que, posteriormente, irá repassar a informação para a empresa responsável pela segurança do condomínio.

 

Uso de ferramentas tecnológicas 

O uso de aplicativos para troca de mensagens como o whatsapp é um bom exemplo de solução tecnológica. Por meio deste aplicativo é possível criar um grupo de segurança que passa a relatar qualquer anormalidade dentro ou no entorno do condomínio.

O grupo também funciona para o compartilhamento de informações aos demais moradores sobre portas de bloco abertas, bicicletas sem cadeados no bicicletários, portões de pedestres entreabertos, movimentação de pessoas estranhas no bairro no entorno do condomínio, entre outros assuntos relacionados à segurança.

 

Os benefícios da vigilância comunitária giram em torno de dois eixos principais: união entre os moradores e a inibição de crimes.

 

Ao promover o diálogo entre vizinhos sobre um tema comum e caro a todos, ocorre uma aproximação entre os moradores e todos passam a se enxergar como uma comunidade, de fato. Dessa maneira, preocupações que antes eram particulares se tornam coletivas e compartilhadas entres todos.

Logo, todos trabalhando em conjunto para um resultado em comum, existe uma grande possibilidade de inibição de criminosos no condomínio e no seu entorno.

Uma forma de deixar claro que no local onde você mora existe um projeto de vizinhança comunitária é a fixação de placas e adesivos com essa informação. O criminoso, sabendo que mesmo em uma ação particular ele poderá estar sendo observado por muitos, vai pensar duas vezes antes de tentar qualquer coisa contra você e seu patrimônio.

 

Como sempre salientamos, mesmo se o seu condomínio possui um sistema de segurança ultramoderno, os moradores devem se unir e trabalhar em conjunto para promover uma real sensação de segurança.

 

Mais algumas dicas:

– Procure a Polícia Militar do seu estado para saber mais sobre projetos de vizinhança e vigilância comunitária. No estado de São Paulo existe o Programa Vizinhança Solidária (http://www4.policiamilitar.sp.gov.br/unidades/dpcdh/index.php/programa-vizinhanca-solidaria/) que auxilia os cidadãos sobre o tema. No seu município também pode ter algo nesse sentido.

 

– Não deixe de procurar, também, a empresa contratada para fazer a segurança do condomínio. Converse com um consultor sobre planos e metodologias, e absorva todas as dicas que forem pertinentes.

 

– Por fim, procure o Conselho de Segurança Comunitária (Conseg) do seu município. Esses locais possuem m

 

Por: Guilherme de Paula Pires
Redação Viva o Condomínio
Em respeito à Lei de Direitos Autorais (Lei 9.61098), este conteúdo pode ser copiado e compartilhado, desde que sejam citados o autor e a fonte original. O plágio é proibido e passível de punição, de acordo com o artigo 184 do Código Penal, que prevê pena de três meses a um ano, ou multa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *