Notícias Legislação Interna

Anuncie aqui

Vizinho chato? Conheças as leis de condomínios e saiba o que fazer

Publicado em: 11 de outubro de 2021

Especialmente nas grandes e médias cidades, é cada vez mais comum viver em condomínios com vários apartamentos ou casas, do que em terrenos individuais.

 

Vizinho chato? Conheças as leis de condomínios e saiba o que fazer

 

Embora morar em prédio ou condomínio tenha suas vantagens — como os serviços e a segurança —, a convivência com vizinhos tão próximos pode gerar alguns problemas.

Então, para resolver possíveis conflitos e evitar que tudo vire uma bagunça, existem as leis de condomínio. Conhecê-las é importante porque até podemos tentar resolver as coisas na base do bom senso — mas, quando ele não funciona, temos que recorrer às leis. Aí, não tem do que reclamar: lei é lei e deve ser respeitada por todos.

 

É importante conhecer as leis de condomínios

Para jogar com o regulamento debaixo do braço, você deve conhecê-lo. Então, quando você se muda para um condomínio, é importante ganhar uma cópia do regimento interno e dar uma olhadinha nela. Por mais chato que pareça, isso pode ajudar você quando o bicho pegar. Além disso, são só cinco ou dez páginas. Lá, você terá tudo bem resumido:

  • Regras para uso das áreas comuns;
  • Como alugar salões de festa e outros serviços;
  • Horários para mudanças e reformas (geralmente em horário comercial);

O mais importante é entender que, da porta do apartamento para dentro, você está na sua unidade particular e pode fazer o que quiser — desde que não incomode os vizinhos e não ultrapasse o uso residencial do apartamento.

Da porta para fora, você está na área comum e deve respeitar o regimento interno. Se a regra diz pode brincar no corredor ou estender roupa para fora da sacada, não pode. Simples assim. Se você não concorda, pode propor mudanças em uma assembleia — porém enquanto a regra estiver em vigor, deve ser respeitada.

Um exemplo bem simples envolvendo os pets: você pode tê-los na sua casa, desde que eles não latam o dia todo e atrapalhem os vizinhos. Porém o condomínio também pode exigir que você só saia com eles na guia, para não incomodar os outros.

 

O que fazer com vizinho barulhento?

Nesse assunto, um dos principais problemas em qualquer condomínio diz respeito às músicas ou televisões altas. Mas engana-se quem pensa que vale a “Lei do Silêncio” das 22h às 07 — e fora disso pode tudo. Se uma pessoa se sentir incomodada, mesmo durante o dia, e comprovar que o barulho está muito exagerado, ela pode reclamar sim.

A regra específica depende de cidade para cidade, mas na maioria delas, se você comprovar que o barulho está acima de 50 decibéis na sala da sua casa, é possível reclamar. Há prédios que preveem que, se três ou mais condôminos registrarem queixa no livro de ocorrências, os vizinhos barulhentos podem ser multados — mesmo durante o dia. Latido de cachorro também se enquadra nessa regra.

Mesmo assim, o recomendado é tentar conversar com o vizinho antes de registrar queixa — já que pode se tratar de uma situação pontual ou que o vizinho nem sabia que incomodava. Se a pessoa não quiser colaborar pelo bom senso, aí pode meter reclamação e multa nele.

Aliás, a regra para barulho também vale para a fumaça de cigarros e cheiros: na sua unidade, você pode fazer o que quiser, mas se incomodar os vizinhos, pode haver multa.

Vale lembrar que o direito não é uma ciência exata e as leis são passíveis de interpretação — por isso que muitos casos vão parar na Justiça. Em caso de dúvida, há vários fóruns na internet que reúnem síndicos para tirar dúvidas e você sempre pode consultar um advogado. E você: já teve alguma treta séria com vizinho?

 

 

Fonte: Mega Curioso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *