Publicado em 25 de maio de 2020

Vizinhos se ajudam ao trocar e vender itens no condomínio

Aproximação de comunidade beneficia quem precisa de ajuda. A quarentena e recomendação de isolamento social afastaram ainda mais amigos e parentes que moram distantes, mas proporcionam a proximidade de vizinhos. Com mais tempo juntos e necessidade de ajuda, condôminos e moradores próximos se unem para enfrentar a crise em várias cidades do Brasil. A quarentena […]

Aproximação de comunidade beneficia quem precisa de ajuda. A quarentena e recomendação de isolamento social afastaram ainda mais amigos e parentes que moram distantes, mas proporcionam a proximidade de vizinhos.

Vizinhos se ajudam ao trocar e vender itens no condomínio

Com mais tempo juntos e necessidade de ajuda, condôminos e moradores próximos se unem para enfrentar a crise em várias cidades do Brasil.

A quarentena e recomendação de isolamento social afastaram ainda mais amigos e parentes que moram distantes, mas proporcionam a proximidade de vizinhos. Com mais tempo juntos e necessidade de ajuda, condôminos e moradores próximos se unem para enfrentar a crise em várias cidades do Brasil.

Um exemplo é o que acontece no condomínio Vitória, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Moradores decidiram se ajudar vendendo produtos e fazendo serviços para os vizinhos. O bistrô que fica dentro do condomínio, que costuma vender lanches e alguns itens básicos de mercearia, passou a expor os produtos e divulgar o trabalho dos moradores como forma de ajudar a comunidade formada ali.

Nós não cobramos nada para expor os produtos dos moradores. Tem artesanato, máscaras de pano, livros, comida e também serviços, que a gente divulga. Nos elevadores e no aplicativo do condomínio também são feitas as propagandas do que os condôminos estão fazendo. Todo mundo acaba ganhando – declarou a funcionária Joyce ao Pleno.News.

A autônoma Teresa Maciel vende doces e viu a possibilidade de ajudar os moradores entregando para eles. Mas afirmou que a união dos vizinhos vai além.

– A gente tem que se ajudar. Eu faço bolos, por exemplo, e estou vendendo aqui. É bom para conseguir uma renda extra, que preciso. Mas o mais importante é ajudar quem está precisando mais. Uma idosa que precisa fazer compras, alguém que está em falta de um alimento eu vou lá e dou, ou alguém que precisa que cuide das crianças. Minha vizinha da frente está saindo para trabalhar, aí eu ajudo com a filha dela, por exemplo – declarou.

 

 

Fonte: Pleno.News

Assine a newsletter do Viva e receba
notícias como esta no seu e-mail

    Comente essa postagem

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios.

    Seu comentário será moderado pelo Viva o Condomínio e publicado após sua aprovação.