Publicado em 22 de outubro de 2018

Condomínios adaptados: projetos de construção devem respeitar a legislação

Tornar um espaço acessível aos deficientes é uma preocupação cada vez mais constante em todo o mundo. No Brasil não é diferente.

Condomínios adaptados: tudo o que você precisa entender sobre o tema

Tornar um espaço acessível aos deficientes é uma preocupação cada vez mais constante em todo o mundo. No Brasil não é diferente. Dados do último Censo Demográfico, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostram que mais de 45,6 milhões de pessoas apresentam algum tipo de deficiência, totalizando 23,9% da população do País. Neste índice estão incluídas as deficiências visual, auditiva, mental e motora, de acordo com seus graus de severidade.

Condomínios adaptados

O Censo divulgado no ano 2000 trazia o Brasil com 24 milhões de pessoas com deficiência. Como se vê, o índice quase dobrou na última década, fazendo com que o poder público e o privado voltassem ainda mais a atenção ao tema.

Projetos devem seguir a lei e serem acessíveis

O mercado da construção civil, por exemplo, passou por uma série de alterações e os novos empreendimentos continuam sendo adaptados à nova realidade. Os projetos arquitetônicos e de engenharia devem conter itens básicos que permitam a acessibilidade e a mobilidade de quem precisa.

Tornar um ambiente acessível é permitir que ele possa ser alcançado, acionado, utilizado e vivenciado por qualquer pessoa. Inclusive as que apresentam mobilidade reduzida.

 

LEIA MAIS: Acessibilidade no condomínio: é lei e sinal de respeito

Fonte: Folha Web

Assine a newsletter do Viva e receba
notícias como esta no seu e-mail

    Comente essa postagem

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios.

    Seu comentário será moderado pelo Viva o Condomínio e publicado após sua aprovação.

    IZA

    Há 2004 dias

    Excelente e oportunos os artigos publicados. Parabéns.