Atualmente, a sustentabilidade nos condomínios não visa apenas preservação ambiental, busca melhorar a qualidade de vida dos condôminos, podendo ainda reduzir os custos condominiais.

 

coleta seletiva

 

É dever de todos cuidar do meio ambiente e uma alternativa de colaboração é a gestão de resíduos através da coleta seletiva.

Implantar práticas sustentáveis em condomínios não é sinônimo de grandes investimentos.

A conscientização dos condôminos é fundamental para que a implantação da coleta seletiva seja sucesso no seu condomínio, pois este processo começa dentro das unidades.

Com a organização adequada do lixo dos moradores e do próprio prédio é possível até mesmo gerar uma “renda extra” ao condomínio.

Como implantar a coleta seletiva em seu condomínio?

Já sabemos que a principal figura de um condomínio é o síndico, o qual tem a função de administrá-lo de acordo com a lei e o interesse coletivo.

A Lei 12.305/10, que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos, traz que “Estão sujeitas à observância desta Lei as pessoas físicas ou jurídicas, de direito público ou privado, responsáveis, direta ou indiretamente, pela geração de resíduos sólidos e as que desenvolvam ações relacionadas à gestão integrada ou ao gerenciamento de resíduos sólidos’’.

Logo, é dever dos condomínios realizar a coleta seletiva, ou seja, “coleta de resíduos sólidos previamente segregados conforme sua constituição ou composição’’.

Inicialmente, sugere-se que o síndico aborde o tema em circulares, assembleias e redes sociais, deixando os condôminos mais familiarizados com o assunto.

Vejamos então 3 passos básicos e práticos para implantar a coleta seletiva no seu condomínio:

 

Plano de ação: elaborar um plano de ação adequado à realidade do seu condomínio será essencial para que a implantação ocorra de forma eficiente. Seu plano/projeto deverá ser apresentado em assembleia destinada a aprovar implantação da coleta seletiva.

Espaço para receber a coleta: será necessário destinar espaço para receber os resíduos, o qual deverá ser ventilado, pois alguns materiais recicláveis são inflamáveis. Também é importante que o local seja de fácil acesso, podendo utilizar “bags” ou contêineres.

Destinação dos resíduos: geralmente a coleta é realizada de uma a duas vezes por semana, porém é preciso levar em consideração o porte do seu condomínio. Há condomínios que optam por fazer parcerias com cooperativas/ONGs e outros que optam pelo setor privado.

Em diversos municípios a Prefeitura Municipal oferece incentivos ou alternativas para a coleta seletiva. Informe-se em sua cidade!

É fundamental também que os condôminos sejam informados sobre como os resíduos devem ser destinados à coleta seletiva.

Assim, uma alternativa bem eficiente é afixar cartazes com listas de materiais recicláveis e não-recicláveis, com indicação dos locais de descarte.

UTILIZE EM SEU CONDOMÍNIO > > > Modelo de comunicado: dicas para facilitar a coleta seletiva

Geralmente, o processo da coleta seletiva leva em torno de, no mínimo, três meses para implantação total e adequação dos moradores e funcionários para a nova fase do condomínio, lembrando que o porte do prédio tem influência direta neste tempo.

Nos dias atuais, há diversas empresas que prestam assessoria à condomínios que pretendem implantar a coleta seletiva.

Necessário esclarecer que a implantação de práticas sustentáveis não trará trabalho extra ao síndico, pois geralmente ele não faz parte da comissão criada para este fim, porém é seu dever acompanhar de perto a execução do plano de ação aprovado em assembleia.

Leia mais: Lixo em condomínio – coleta seletiva é a melhor opção

Importante: não é função dos funcionários separar o lixo das unidades!

 

O lixo/resíduo é dos condôminos, portanto, é responsabilidade destes a separação dos materiais. Os funcionários devem ser orientados apenas a ajudar no sentido de indicar o recipiente apropriado ao material a ser descartado.

A nossa legislação é clara: o síndico é o responsável por “cumprir e fazer cumprir a convenção, o regimento interno e as determinações da assembleia” e a implantação do projeto de coleta seletiva deve ser aprovado em assembleia.

Um síndico que cumpre sua função de forma eficaz se preocupa com a sustentabilidade e responsabilidade ambiental!

A coleta seletiva é prática e simples, pois consiste em “separar o lixo”(papel, metal, plástico e vidro) com base nos 3R’s: reduzir (lixo), reaproveitar (materiais) e reciclar (o que for possível).

Implantar um projeto de coleta seletiva em seu condomínio, além de ser uma forma moderna de tornar o ambiente mais limpo e organizado, preserva o meio ambiente garantindo a sobrevivência das futuras gerações.

Portanto, para ser um síndico de alta performance, você não deve somente cumprir suas obrigações legais, mas também utilizar de alternativas e ações eficientes à sua gestão.

 

Independente do tamanho do seu condomínio é possível implantar práticas sustentáveis!  

 

Escrito por

 

SIMONE GONÇALVES
Advogada OAB/RS 74.437
Email:contato@simonegoncalves.com.br
www.simonegoncalves.com.br

Gostou? Então visite nosso Blog e cadastre-se para receber gratuitamente conteúdos e atualizações. https://simonegoncalves.com.br/blog/

Escrito por:

Simone Gonçalves - Advogada e Consultora Especialista em Direito Imobiliário | OAB/RS 74.437 Email:contato@simonegoncalves.com.br | www.simonegoncalves.com.br

Assine a newsletter do Viva e receba
notícias como esta no seu e-mail

    Comente essa postagem

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios.

    Seu comentário será moderado pelo Viva o Condomínio e publicado após sua aprovação.