Publicado em 26 de maio de 2021

Temporada mais seca exige economia do consumo de água nos condomínios

Temporada mais seca exige economia do consumo de água nos condomínios. Demanda aumentou por causa da pandemia. Confira a notícia!

Demanda aumentou por causa da pandemia e conta pode corresponder a 20% das despesas totais

 

Temporada mais seca exige economia do consumo de água nos condomínios

A temporada de secas já começou na cidade de São Paulo. Segundo a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), o mês de abril terminou com apenas 10,8% do volume de chuvas esperado para o mês, e a tendência para os próximos meses é que chova ainda menos. Por isso, especialistas recomendam iniciar desde já a economizar água —evitando um possível desabastecimento, e reduzindo o valor das contas.

Nos condomínios, a conta de água costuma representar entre 15% e 20% das despesas totais, segundo o gerente condominial Tarcísio Mota, da administradora Graiche. O valor cresce com a disponibilidade de áreas comuns, como piscinas, saunas e academias, que costumam bombar no período de férias.

“Em junho, o consumo começa a aumentar. Mas a pandemia aumentou a demanda durante todo o ano”, explica. “É preciso então analisar onde o gasto é maior: nas áreas comuns, ou nos apartamentos”.

Mota recomenda que a administração que queira incentivar a economia de água aposte menos em assembleias, que podem ter pouca presença, e foque no atendimento individual aos moradores. Uma vistoria técnica, para identificar vazamentos e outros problemas, é um bom começo.

A iniciativa também pode partir dos moradores. Além de extinguir o “pinga-pinga”, fechar as torneiras sempre que possível e adotar banhos mais curtos, o gerente aconselha prestar atenção nos vasos sanitários com caixa acoplada:

“Há chance de vazamentos quase imperceptíveis quando não há manutenção”.

Outra dica é diminuir a vazão de torneiras e do próprio vaso sanitário. Mota recomenda instalar redutores nas torneiras e colocar uma garrafa pet dentro da caixa acoplada, restringindo o espaço ocupado pela água e reduzindo o consumo.

O síndico profissional Eric Abuleiz conta que, em casos onde atuou, a individualização das contas ajudou muito na economia. Quando o morador paga apenas pela água que gasta em sua casa, e não pelo coletivo, há mais atenção para os próprios hábitos de consumo —o que incentiva a economia.

A individualização também pode ajudar nas contas do próprio condomínio: com moradores mais atentos ao consumo e com maior controle do valor pago, a inadimplência pode cair. Mas é necessário prestar atenção também em como os funcionários usam a água para o serviço (principalmente na jardinagem e limpeza), e incentivar moradores a consumirem menos nas áreas comuns.

Abuleiz recomenda investir ainda num sistema de aproveitamento da água da chuva. “Captamos de poços que ficam no subsolo e jogamos em um reservatório, que tem um sistema simples de tratamento de água”, conta, “e usamos para regar o jardim e lavar o pátio”.

Saiba mais
  • A partir de maio, as chuvas ficarão mais raras e menos volumosas em São Paulo
  • Nos condomínios, a economia deve partir da administração e dos moradores
Primeiros passos
  • É aconselhável o síndico fazer uma abordagem mais próxima aos moradores
  • Visitar as unidades e inspecionar possíveis vazamentos
  • A administração ou o síndico também devem ouvir os funcionários sobre sua forma de trabalho, identificando atividades que podem gerar desperdício
Nas áreas comuns
  • Nos jardins, áreas verdes e hortas, trocar a mangueira por um sistema de irrigação eletrônica, como os sprinklers, pode aumentar a eficiência e diminuir o consumo de água
  • A piscina pode ser coberta para diminuir a evaporação
  • A água da chuva pode ser aproveitada para rega ou limpeza dos ambientes —basta investir em um reservatório para a captação e tratamento
  • Cartazes com boas práticas para a economia de água podem ser colocados próximos às torneiras, pias, mangueiras e chuveiros compartilhados do condomínio
No apartamento
  • O pinga-pinga das torneiras e do chuveiro pode parecer inofensivo, mas consome litros adicionais de água todos os dias
  • Vasos sanitários com caixa acoplada também podem liberar água. Para testar, coloque um pouco de corante alimentício dentro da caixa à noite: caso haja vazamento, a água do vaso estará colorida na manhã seguinte
  • Torneiras com vazão alta demais gastam volumes desnecessários de água. Considere instalar um redutor de vazão
  • Manter a manutenção do aquecedor a gás em dia também ajuda a poupar água
Economia
  • Não utilize mangueiras para lavar a calçada, garagem, corredores, etc. Opte pela vassoura e o balde
  • Não use o vaso sanitário como lixeira. Cada descarga consome entre três e seis litros de água
  • Não deixe a torneira aberta enquanto escova os dentes ou ensaboa as louças
  • Tome banhos mais rápidos e eficientes
  • Desligue o chuveiro durante o uso dos sabonetes, shampoos, lâminas, etc
Individualização incentiva a economia
  • A individualização da conta faz com que cada unidade pague pela água que consome, e não por uma fração do consumo de todo o condomínio
  • A conta individual também permite acompanhar a variação do valor pago e identificar em quais meses a unidade gastou mais água, e de onde veio este consumo
  • Muitos condomínios mais novos já utilizam o sistema de individualização. Se o condomínio não tiver, deve ser proposta ao síndico uma assembleia sobre a questão

 

 

Fonte: Agora

Assine a newsletter do Viva e receba
notícias como esta no seu e-mail

    Comente essa postagem

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios.

    Seu comentário será moderado pelo Viva o Condomínio e publicado após sua aprovação.