Publicado em 27 de maio de 2021

Condomínios devem redobrar atenção a protocolos para manter a segurança sanitária

A pandemia vem fazendo síndicos buscarem conhecimentos sobre protocolos para manter a segurança sanitária nas áreas comuns de seus condomínios.

A pandemia vem fazendo síndicos buscarem conhecimentos sobre protocolos para manter a segurança sanitária nas áreas comuns de seus condomínios.

 

Condomínios devem redobrar atenção a protocolos para manter a segurança sanitária

Diante de um cenário totalmente atípico, as maiores dificuldades vêm sendo selecionar as informações e manter os condôminos e visitantes dos estabelecimentos conscientes para que a utilização dos espaços aconteça de forma responsável, evitando a proliferação de doenças (em especial da covid-19).

Pensando em contribuir para os protocolos dos condomínios, entrevistamos a auditora líder da startup Local Confiável, Fernanda Martins. A empresa surgiu com o objetivo de divulgar e monitorar boas práticas sanitárias, respaldando estabelecimentos – incluindo condomínios –, para que os gestores proporcionem segurança nas áreas de circulação das pessoas.

Acompanhe a entrevista

Viva o Condomínio: Em que locais deve haver intensificação da limpeza nos condomínios?

Local Confiável: Os locais de limpeza podem variar conforme os diferentes tipos de condomínio e o número de pessoas circulantes.

Preferencialmente, a limpeza com produtos apropriados deve ser intensificada em locais de contato constante com as mãos de visitantes e condôminos, em áreas comuns com maior circulação de pessoas e em ambientes fechados, como: interfones, corrimões, maçanetas, elevadores e botões de toque, banheiros e vestiários, incluindo pontos de acesso a áreas de recreação, entre outros.

Quais produtos costumam ser eficazes no combate ao coronavírus?

Local Confiável: Os produtos indicados são sempre os produtos saneantes desinfetantes, preferencialmente descritos em suas identificações como bactericidas e virucidas, devidamente regularizados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A concentração de uso e o tempo de ação devem sempre obedecer a prescrição dos fabricantes. Entre os exemplos de princípios ativos que podem ser utilizados, há os que são mais conhecidos, como o álcool 70%, o hipoclorito de sódio a 0,1% (concentração recomendada pela OMS), o peróxido de hidrogênio (água oxigenada) a 0,5%, quaternários de amônio, como o cloreto de benzalcônio a 0,05%, compostos fenólicos, entre outros.

É importante verificar se o produto é compatível com a superfície onde será utilizado, para evitar danos a utensílios, desbotamento de tecidos ou outros imprevistos, como corrosão, que pode ocorrer em alguns tipos de materiais.

Que cuidados você recomenda para uso de elevadores?

Local Confiável: Os elevadores, sempre que possível e que o mecanismo permitir, devem ser mantidos com a porta aberta quando parados nos andares, facilitando a circulação de ar e reduzindo o risco de contaminação por aerossóis.

Adicionalmente, o ar-condicionado deve ser limpo rotineiramente e dispor de planos de manutenção e controle, previstos pela legislação. Os botões de comando e as superfícies de apoio também devem ser limpos periodicamente, com produto desinfetante apropriado.

Para as botoeiras o condomínio pode optar pelo uso de capas plásticas ou películas de revestimento que permitam uma melhor conservação dos maquinários e facilitem a limpeza por manterem a superfície mais lisa e sem reentrâncias. Entretanto é preciso salientar que, no caso do uso de capas, da mesma forma elas devem ser higienizadas constantemente, ou substituídas conforme o tipo do material, uso e desgaste.

Além disso, o distanciamento faz-se necessário, e a regra é que o elevador seja utilizado individualmente ou no máximo compartilhado apenas por pessoas da mesma família e/ou grupo de convívio social em ambiente de trabalho, sempre mantendo o distanciamento mínimo requerido.

Quais são os procedimentos para reabertura e utilização das áreas?

Local Confiável: Quando pensamos em reabertura, sempre devemos estar atentos à legislação para o entendimento do que pode e o que não pode ser reaberto, bem como para a adequação aos protocolos necessários.

Em muitos lugares, além da possibilidade de reabertura das áreas de lazer, por exemplo, as saunas são proibidas e devem permanecer fechadas. Devem ser estabelecidas regras de convivência e cuidados sanitários aliados a cuidados com colaboradores, distanciamento e circulação de ar ambiente.

Por serem muitos cuidados específicos para cada tipo de atividade, segmento, condomínio e área, é recomendável que as regras sejam escritas de forma que o entendimento fique claro e que todos sejam comunicados sobre elas.

Um ponto importante, que precisa ser mantido da mesma forma, são os cuidados com os prestadores de serviço (manutenção, obras, limpeza de piscinas, entre outros) e visitantes. Todos devem seguir as mesmas regras!

Muitas vezes o síndico não consegue acompanhar ou interpretar decretos e normas locais. Onde consultar os regulamentos de cada região?

Local Confiável: Os regulamentos relacionados à pandemia, à abertura e ao fechamento de áreas e aos tipos de atividades autorizadas, incluindo os condomínios e congêneres, costumam estar disponíveis nos sites das próprias prefeituras ou diretamente nos sites das secretarias municipais ou estaduais de saúde de cada respectiva região.

Existe um potencial passivo assumido pelas empresas, decorrente da chamada “judicialização da pandemia”. Como isso pode ser amenizado ou evitado?

Local Confiável: Esses passivos podem ser reduzidos por meio da conscientização de todos mediante divulgação de normas, sinalização de ambientes, treinamentos e controle das atividades dos colaboradores.

De forma geral, é fundamental manter registros de treinamentos, da entrega de comunicados, de reuniões realizadas – mesmo que virtuais –, assim como comprovantes de entrega de equipamentos de proteção individual (EPIs) e de protocolos escritos de rotinas de trabalho, higienização de ambientes e cuidados adotados. Os registros podem contribuir para reduzir o impacto de passivos relacionados a esses temas.

Como facilitar uma comunicação eficiente das boas práticas no condomínio?

Local Confiável: Divulgando o máximo possível. Permitir, através de canais de comunicação, que as pessoas que circulam naquele ambiente possam identificar pontos que não estejam em conformidade com os protocolos.

É de extrema importância a disponibilização de um canal direto para reportar cuidados que estejam sendo negligenciados – e de forma anônima para que todos se sintam à vontade para descrever o que não está sendo cumprido.

O uso de tecnologias facilita essa comunicação e evita desgastes entre condôminos, colaboradores e síndicos, uma vez que torna as reclamações menos pessoais e oferece registros para futuras comprovações.

O uso de QR Codes vem sendo algo muito comum, e a Local Confiável se conscientizou disso. Através dos pontos de QR Code distribuídos nos ambientes, o sistema permite que a comunicação flua de forma prática, rápida e mantendo o anonimato das pessoas.

Que dicas finais você indica para que as pessoas analisem se os protocolos básicos estão sendo cumpridos em seus condomínios ou num estabelecimento comercial?

Local Confiável: Primeiramente, é necessário atualizar-se por meio de rotinas semanais de pesquisa sobre os decretos e protocolos de cada região, para um entendimento das atividades que podem ou não estar funcionando naquele estabelecimento, suas regras e limites de horário e ocupação conforme as bandeiras vigentes.

Após esse ponto de atenção regulatória, é necessário inteirar-se sobre as melhores práticas sanitárias para cada segmento de negócio e/ou para seu condomínio, que muitas vezes podem coexistir na mesma edificação, e sobre as regras individuais de estatutos ou convenções de cada tipo de condomínio, verificando se uma atividade não impacta outra já prevista inicialmente.

Observados esses critérios, deve-se estabelecer rotinas por meio de protocolos próprios, sempre com a base regulatória acima descrita e com o monitoramento constante dos ambientes, para que a prática aconteça da forma prevista, corrigindo pontos e desvios sempre que necessário, para o bem comum.

Gostou das informações? Compartilhe com o máximo de pessoas que puder e vamos contribuir para a utilização segura e responsável dos locais que frequentamos. Clique aqui para assistir também à live, que ocorreu dia 20/05/2021, no nosso canal do Instagram.

 

Redação Viva o Condomínio

Em respeito à Lei de Direitos Autorais (Lei 9.61098), este conteúdo pode ser copiado e compartilhado, desde que sejam citados o autor e a fonte original. O plágio é proibido e passível de punição, de acordo com o artigo 184 do Código Penal, que prevê pena de três meses a um ano, ou multa.

Assine a newsletter do Viva e receba
notícias como esta no seu e-mail

    Comente essa postagem

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios.

    Seu comentário será moderado pelo Viva o Condomínio e publicado após sua aprovação.